Agro 4.0: a tecnologia ajudando a produzir mais e melhor

A agricultura de precisão está transformando o campo em uma indústria com alto grau de automatização e capacidade preditiva. 

Avançados sistemas permitem planejar, prever, monitorar e gerir de forma estratégica etapas de produção e, com o uso de sensores inteligentes, aplicações de IoT, bigdata e inteligência artificial, é possível controlar processos e promover ganhos de eficiência em todas as etapas da produção, da escolha da semente à logística de transporte.

Foi sobre o uso de tecnologias que estão revolucionando o agro brasileiro que Mauro Carrusca falou na última edição da revista Fonte, editada pela Prodemge, que foi publicada no início do mês de janeiro.

Segundo Carrusca, o Brasil reúne todas as condições para ser o restaurante do mundo, mas, para avançar mais rápido, precisa investir maciçamente em tecnologia, gestão e em processos produtivos mais estruturados. A Holanda, por exemplo, com 0.5% do território brasileiro, produziu em 2017 cerca de 60% da produção de leite brasileira. Aliados da vocação leiteira, o uso de tecnologia intensiva e de processos produtivos inovadores se transformam em grandes alavancas para aumentar a eficiência e a produtividade. Outro exemplo de inovação? É na Holanda que funcionará a primeira fazenda flutuante para gado leiteiro. Ancorada no Porto de Roterdã, a fazenda contempla todos os aspectos ambientais e de eficiência energética e será operada por robôs.  

Um dos motores da economia brasileira, a agricultura e o agronegócio foram responsáveis por 23,5% do PIB em 2017 e há expectativas de crescimento do setor de 3,4% para 2018.

Leia a revista na íntegra aqui.

Mauro Carrusca foi o convidado especial do 48o Encontro Empresarial Estratégico promovido pelo Mercado Comum, MinasPart, LCA e Rosenberg Associados, no último dia 14 de fevereiro, que reuniu empresários e grandes lideranças de entidades empresariais de Minas Gerais.

Com a palestra “O digital, as pessoas e a transformação total dos negócios”, Mauro Carrusca falou sobre como o digital passou a ditar comportamentos e mudanças no estilo de vida e na forma de planejar estratégias e de gerir negócios. Mostrou que mais inovações surgirão da experimentação, hibridização, fragmentação e da colaboração em larga escala. Estamos no limiar de um processo de transformação vigoroso, que exige um novo mindset, mais inovador e colaborativo.

Leia aqui a notícia publicada na Newsletter Mercado Comum e assista o vídeo abaixo.

Mauro Carrusca apresentará a palestra “O seu mundo vai desaparecer”, na terça-feira, dia 12, às 13 horas.

O seu mundo vai desaparecer 

As mudanças sempre fizeram parte das nossas vidas e dos negócios, mas o que vem amedrontando as pessoas, os negócios e as instituições é a velocidade das mudanças atuais. Por quê? Porque estamos imersos num cenário de transformação digital que vem trazendo incertezas, ambiguidades e muita volatilidade às propostas de valor e modelos de negócios. Fica claro que o mundo conforme o conhecemos está deixando de existir e a certeza de que o que fazemos hoje não será mais suficiente, nem no curto nem no médio prazo.

Novas tecnologias estão agregando inteligência aos processos, permitindo tomadas de decisão mais ágeis e assertivas baseadas em dados coletados em tempo real. E isso muda tudo: comportamentos, práticas, modelos de negócios, a forma como nos relacionamos e vendemos. Sobreviverão negócios que entenderem que a jornada desse novo cliente da era digital. 

Os novos tempos exigem um mindset inovador, atenção às tendências e sinais, uma atuação transversal e, principalmente, entender que competência que trouxe a organização até aqui provavelmente não será a que a conduzirá ao futuro. 

Com um approach motivacional, a palestra é uma chamada inspiradora para ação. Mauro Carrusca  apresenta um conteúdo prático, comportamental e motivacional para desafiar gestores e profissionais a entenderem a necessidade de evolução constante, a agirem como protagonistas desse processo e a pensarem como empreendedores do negócio, alinhando seu mindset e fazendo da inovação o fio condutor do seu dia a dia.

Ouça cada bloco clicando no link correspondente:

Inscreva-se gratuitamente para receber convites para nossos eventos, novos posts e informativos

Regional Rio Doce e Sebrae realizam seminário para discutir modelos de novos negócios para inovação disruptiva.

A FIEMG Regional Rio Doce e o Sebrae realizaram no dia 15 de setembro, o “Seminário de Inovação”. O objetivo foi despertar nos participantes a importância de adquirir e desenvolver conhecimentos, de maneira que os estimulem a criar produtos e serviços inovadores para seus clientes. Foram abordados exemplos de startups, empresas jovens, que oferecem soluções, por meio de ideias criativas e inovadoras.

Leia a matéria na íntegra

Mauro Carrusca é um dos idealizadores da Trilha de Negócios da Latinoware e será um dos principais conferencistas na edição 2016. Especialista em Design Thinking e Empreendedorismo, e criador da Plataforma KER, este respeitado e qualificado profissional estreia uma série de entrevistas concedidas à Latinoware 2016.

Qual a importância da Latinoware para a geração de negócios, para o ambiente empresarial e tecnológico?

 A Latinoware, por ser um evento de amplitude internacional, reúne uma diversidade cultural, técnica e de competências fantástica. Isso, somada ao ambiente do PTI – Parque tecnológico Itaipu, onde é realizada, se constitui num ecossistema ideal não só para network e troca de ideias entre os empreendedores, mas para a efetiva geração de novas parcerias e negócios.

Neste aspecto, a Trilha de Negócios promovida na Latinoware 2016, ganha relevância e amplitude para formação de novos empreendedores e também para reforçar a visão sistêmica da comunidade, como um todo, sobre as infinitas possibilidades de novos negócios e sistemas empresariais?

Foi pensando nesse ambiente que apoiamos a decisão de se criar uma trilha específica para negócios. Pela nossa experiência, tanto no Brasil quanto em outros países, o número de insucessos de iniciativas empreendedoras é muito grande e, na maioria das vezes, isso acontece porque o jovem empreendedor tem uma ideia e acredita que ela seja disruptiva. Mas, esquece que para consolidar uma ideia é necessário transformá-la num negócio e, para isso, entender de gestão é fundamental.

Leia a entrevista na íntegra

Matéria publicada no site Tribuna de Minas, dia 06/10/2017

Fórum reúne mais de 500 na busca do desenvolvimento sustentável

Encontro reuniu vários setores da economia e dos poderes públicos local e regional. Entre os temas debatidos esteve o papel da inovação na recuperação da Mata mineira.

Mais de 500 pessoas marcaram presença nos dois dias do Fórum de Desenvolvimento de Juiz de Fora, Zona da Mata e Vertentes, que manteve a tradição de unir palestrantes renomados, autoridades, empresários e formadores de opinião na discussão acerca do desenvolvimento sustentável. Com o tema Ética, criatividade e investimento – vetores de alavancagem do desenvolvimento, o fórum, realizado a cada dois anos pela Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região, criou a sua identidade e consolida-se no calendário municipal como oportunidade de debate e troca de ideias em prol do avanço socioeconômico do município e da região.

Entre os palestrantes do dia estava Mauro Carrusca, CEO da Carrusca Inovation e autor de um artigo que está “bombando” na internet: “O seu mundo vai desaparecer”. Em entrevista à Tribuna, Carrusca comenta que o mundo que conhecemos está “indo embora”, e muitos ainda não perceberam isso. “As transformações digitais têm impactado profundamente a sociedade, as organizações e as empresas, e não dá mais para ficar simplesmente olhando e esperando o futuro chegar. A gente tem que trazer o futuro para o presente.” Segundo Carrusca, a transformação digital e o investimento em tecnologia são obrigações para as empresas. A inovação, no entanto, vai além. “É muito mais que isso. Significa gente e mudança de mentalidade. É preciso entender que a colaboração, a inclusão e uma gestão mais horizontal são fundamentais nos novos tempos. Se isso não for feito, para essas empresas, o mundo vai acabar.”

Leia a matéria na íntegra aqui.